Após se recuperar de um AVC, idosa de 89 anos lança livro

Maria Paulino fala sobre o processo de reabilitação no Ceir

0
2

Os três anos frequentando corredores, salas e grupos do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) fizeram das irmãs Paulino duas grande personagens que passaram pelo Centro. No entanto, elas fizeram o movimento contrário e decidiram homenagear o hospital e escreveram o livro “Passagem pelo Centro Integrado de Reabilitação de Teresina”, relatando os pacientes que ali se tornaram tão especial quanto elas. Aos 89 anos, as gêmeas univitelinas lançam o livro nesta terça-feira (8), às 10h, na sede do Ceir, em uma manhã de autógrafos.

A parceria com o Centro aconteceu depois de inúmeras tentativas de recuperação da paciente Maria Paulino, após o Acidente Vascular Cerebral (AVC). Anos depois, escutando as recomendações de pessoas próximas, a família se encontrou no Centro. A partir de então, não só uma, como as duas irmãs passaram a frequentar o Ceir, sempre vestidas da mesma forma. Enquanto Maria recebia o tratamento necessário para se recuperar do AVC, Ana Paulino a ajudava todos os dias e passou, após a insistência da primeira, a frequentar um grupo psicológico para tratar o alzheimer.

Irmãs gêmeas tornaram-se personagens do Ceir  (Crédito: José Alves Filho )
Maria Paulino lança o livro nesta terça (08) (Crédito: José Alves Filho )

Segundo a sobrinha das irmãs, Socorro Galvão, Maria Paulino mudou a forma de ver o mundo e a sua condição, após estar em contato com outros pacientes que passavam por reabilitação. “Ela melhorou muito enquanto pessoa e a sua visão de mundo. Ela achava que o seu caso era pior, mas ela passou a descobrir que ela era a melhor ali. Muitos foram os casos de pessoas que estavam em uma situação pior e ela percebeu isso”, relatou.

Entre as percepções do dia-a-dia, Maria Paulino resolveu escrever um livro sobre o aprendizado que adquiriu no Centro. Seus anos como professora de Artes, Religião, além do trabalho como terapeuta ocupacional ajudaram na decisão de escrever, além da paixão pela escrita. “Eu comecei a escrever o livro e quando estava na metade, tive uns problemas de saúde, mas aí meus sobrinhos me ajudaram a continuar a escrever”, contou Maria, que já escreveu livros como Vida Realizada, Partilha e Acervo: Cultural Social e Religioso.

Ana Paulino, a irmã gêmea, era formada em teologia e freira. Deixou os anos como Irmã, assim que Maria sofreu o AVC. Desde então, as duas estreitaram mais ainda a sua ligação, na medida em que Ana acompanhava a irmã. “Quando minha irmã adoeceu, ela teve um derrame, eu resolvi deixar o convento e ajudar ela”, explicou Ana, que também tem um livro publicado A Terra e o homem a história de Pedro II.

Além da reabilitação físico-motora, Maria também frequentava o circulo de conversas de psicologia. Após perceber as mudanças que os diálogos estavam fazendo em sua vida, a professora aposentada convenceu Ana Paulo a também participar, já que esta tinha alzheimer. “No início ela era muito resistente, dizia que eram conversas que não influenciavam em nada, mas depois ela percebeu o contrário e levou a irmã com ela em todas as conversas, já que elas andam sempre juntas”, concluiu a sobrinha.

Maria Paulina já recebeu alta, depois de três anos de tratamento. Seu livro lançado hoje está sendo distribuído aos pacientes e funcionários do Ceir e aos amigos próximos das duas irmãs. O objetivo, segundo elas, foi prestar uma homenagem ao Centro, que passou a fazer parte dos seus cotidianos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here